Aquisição da linguagem e a compreensão do TEA

Cursei a graduação em fonoaudiologia de 2005 a 2008, nesse período várias áreas do curso me chamaram a atenção, mas a aquisição de linguagem acabou virando minha grande paixão. A partir desse interesse, comecei a desempenhar pesquisas na área com o auxílio de minhas professoras orientadoras.

            O interesse para a pesquisa levou-me ao mestrado, onde pesquisei aspectos importantes para a terapia do desvio fonológico e, logo após, para o doutorado, com a pesquisa sobre os padrões de aquisição do vocabulário e da fonologia do Português Brasileiro. Ainda em 2015, ano em que defendi minha tese, fui selecionada para cursar o pós-doutorado em Distúrbios da Comunicação Humana, onde pude experienciar a docência e continuar a pesquisar aquisição de linguagem.

            Até esse momento, embora já tivesse atuado por alguns anos na área clínica, minha experiência com o Transtorno do Espectro Autista (TEA) ainda era escassa. Porém, em 2016, após o término do pós-doutorado, comecei a trabalhar em uma clínica especializada nessa área. Me deparei com o desafio de uma agenda cheia de crianças e adolescentes com TEA. Nesse período, tive grande auxílio de uma educadora especial e sua equipe em uma clínica multidisciplinar de Santa Maria, que me acolheram e compartilharam sua vasta experiência comigo. A partir daí, passei a estudar e conviver com o autismo diariamente. Os conhecimentos adquiridos na área acadêmica, sobretudo em relação à aquisição de linguagem, me ajudaram sobremaneira a compreender o funcionamento da linguagem no autismo, bem como as singularidades inerentes ao espectro.

Desde então, já participei de diversos cursos de capacitação, workshops e eventos na área, bem como orientando trabalhos de conclusão de Curso sobre o TEA no curso de psicologia da Faculdade Integrada de Santa Maria (FISMA). Quanto mais aprendo sobre o autismo, mais me apaixono por este universo tão especial. Trabalhar com pessoas com TEA significa vibrar com cada sorriso e cada olhar, sentir a emoção de ouvir a primeira palavra, se orgulhar com cada conquista e caminhar juntos rumo à independência!

Hoje em dia, tenho a oportunidade de atuar com crianças com TEA em meu consultório e inicio com grande alegria uma nova jornada de trabalho transdisciplinar, com colegas altamente capacitados na área, no Centro de Referência em Autismo da FISMA. Que venha muito aprendizado, troca de experiências e sucesso a todas e todos!

Postagens Recentes