COORDENADORA DO CENTRO COMPREENDER PARA ATUAR QUALIFICA DOUTORADO NA ÁREA DO AUTISMO

Na última sexta-feira, dia 3 de setembro, a coordenadora do Centro Compreender para Atuar, educadora especial Jéssica de Oliveira, participou da banca de qualificação de sua tese de doutorado pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM): “A influência da intervenção implementada por pais sobre as habilidades sociocomunicativas de crianças com TEA: uma abordagem naturalística”.

O estudo de Jéssica, se destaca por apontar a intervenção implementada por pais – que é uma Prática Baseada em Evidência muito efetiva na área do autismo, pois trabalha diretamente com os pais estimulando habilidades sociocomunicativas e com impacto direto tanto no desenvolvimento, quanto na qualidade de vida familiar.

“Essa prática se destaca por colocar os pais em uma situação mais ativa no processo de intervenção com seus filhos, orientando e treinando-os para proporcionar os estímulos necessários nas rotinas familiares e, em ambientes variados, que sejam do cotidiano da família”, relata Jéssica.

Esse tipo de pesquisa, que centra a família no processo interventivo, tem sido cada vez mais utilizado como estratégia no contexto das intervenções em TEA, principalmente nos Estados Unidos. No entanto, ainda são poucos estudos no Brasil, que apresentam fidelidade a esse tipo de intervenção.

A banca avaliadora foi composta por seis pessoas, tendo como orientador, o pesquisador Dr. Carlo Schmidt e co-orientadora, Dra. Siglia Pimentel (UFPEL). Também contou com a avaliação da pesquisadora Dra. Ana Paula Pereira, da Universidade do Minho (Portugal), Dra. Silvia Pavão, Dra. Caroline Rubin R. Pereira, Dra. Débora Nunes (UFRN).

Jéssica é profissional e pesquisadora no Transtorno do Espectro Autista (TEA) há cerca de dez anos. Seu doutoramento na área, contempla as Práticas Baseadas em Evidências na intervenção implementada por pais, onde os estudos vêm comprovando cada vez mais, a eficácia deste tipo de intervenção.

Postagens Recentes